Dando continuidade a política de identificação e reconhecimento dos Polos e Arranjos Produtivos Locais (APLs) de Minas Gerais, o Governo de Minas Gerais, através da Secretaria de Estado Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Seedif), certificou novos oito APLs no estado nessa terça-feira (03/07).

As regiões reconhecidas pelo Núcleo gestor de APL foram a Apicultura no Vale do Jequitinhonha; Apicultura no Norte de Minas Gerais; Vinho em Andradas; Vestuário em Espinosa; Bolacha em Andradas; Café Especial no Sul de Minas; Móveis e Artesanatos na região dos Vertentes; Vestuário na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A assinatura dos reconhecimentos pelo secretário em exercício da Seedif, Fernando Máximo, inclui e fortalece essas regiões como objeto de políticas públicas de desenvolvimento econômico. Para o secretário, “é preciso fortalecer as micro e pequenas empresas dos polos produtivos para movimentar o desenvolvimento regional, sendo a política de APL um instrumento para esse fim”.

A política de APL tem implementado ações de inteligência de negócios; capacitações gerenciais; estratégias avançadas e inovadoras de marketing, entre outras. Para o secretário de desenvolvimento econômico de Espinosa, Gleysomar Soares Oliveira, o reconhecimento impulsionará a economia regional.

“Essa é uma grande conquista, já que dá visibilidade ao município e promove o território. Tudo isso, somado ao distrito industrial produtivo existente na região, formam um contexto de alto dinamismo e geração de emprego e renda”, afirma.

A expansão das políticas do APL agrega a oportunidade de trabalhar as vocações e peculiaridades das diferentes regiões mineiras, promovendo a competitividade. Para Luciano Fernandes de Souza, presidente da Coopemapi (Cooperativa dos Apicultores e Agricultores Familiares do Norte de Minas Gerais), o reconhecimento valoriza o setor.

“A inclusão do APL da apicultura fortalece a legitimidade do setor na atração de projetos para competitividade do setor produtivo do mel, facilitando a captação de recursos para a região a serem aplicados em iniciativas de fomento ao desenvolvimento econômico regional”, finaliza.